sexta-feira, 17 de julho de 2015

Filme: O Juiz



Um melodrama comovente, com uma pitada de humor, produzido por David Dobkin  e interpretado por Robert Duvall e Robert Downey Jr, conta a história de Hank, um advogado barra pesada e seu pai Joseph, um juiz conhecido pela defesa implacável da lei e de uma reputação admirável em Carlinville, no Indiana, local onde reside e exerce a sua profissão.
Hank Palmer é um dos três filhos do juiz e conhecido por ser um advogado bem sucedido e por sua extrema arrogância e confiança, bem como por alguns comportamentos desprezíveis e um casamento a ruínas devido a uma traição por parte da esposa Lisa, situação preocupante para Hank, por existir uma filha entre eles. Durante um julgamento, Hank recebe a notícia da morte da sua mãe e logo viaja até Carlinville,  casa dos seus pais e lugar onde passou grande parte da sua infância e juventude.
Ao chegar, reecontra o pai, um elemento com quem manteve uma complicada relação e com quem não se comunicava há vários anos. Existe um enorme ressentimento entre ambos em relação a situações do passado , algo difícil de esquecer. Durante o luto da sua mãe, Joseph é acusado de ter atropelado e conduzido à morte de Mark Blackwell, um elemento que o juiz havia condenado a vinte anos de prisão devido ao assassinato de uma jovem, e é a partir daí que a relação entre pai e filho começa a estreitar-se. Joseph não se lembra de ter cometido o crime, tendo na memória que saiu de casa apenas para ir comprar ovos, embora esse desconhecimento não o impeça de ser interrogado pelo advogado de acusação Dwight Dickham que promete não dar trégua ao juiz. De início, Joseph não aceita ter seu filho como advogado, e contrata o inexperiente C.P Kennedy, que tem por hábito vomitar por consequência do nervosismo antes de entrar no tribunal, tornando uma presa fácil para Dickham. Diante disso, percebemos que mais cedo ou mais tarde Hank vai assumir a defesa do pai, revelando sua enorme competência e capacidade como advogado e promete defendê-lo a todo custo.         

Robert Duvall cria um juiz complexo, de idade avançada, silencioso e pouco dado a grandes sorrisos, que aos poucos começa a relacionar-se com o seu filho do meio, após vários anos de separação. O Juiz traz ao telespectador uma mistura de emoções, tais como drama, humor e suspense na medida certa. O filme não fala somente sobre as tentativas de Hank em inocentar seu pai, mas, principalmente, do que acontece com aqueles que decidem voltar para casa, depois de anos, e se abrem para os pequenos momentos em família e para a simplicidade de determinadas situações.

texto de Amanda Almeida

2 comentários:

  1. Excelente texto Amanda. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. É uma bela história. ”O Juiz”: Robert Downey Jr. no papel pequeno ou mau roteiro porque com a sua esmagadora carisma aumenta tudo, quando ele foi escolhido para interpretar o Homem de Ferro, além de relançar a sua carreira e emergir como o Phoenix o público mostrou o quão bom um jogador que ele é. Juiz em sua presença deve pagar a entrada, mas também os desempenhos de outros atores como Robert Duvall, Vera Farmiga, Billy Bob Thornton não ficam muito atrás. O filme é um drama familiar acima de tudo, torna-se um pouco lento e há uma cena que poderia ter salvo, como chuveiro, mas como é pontilhada com alguns toques de humor quase sempre manipulados por Robert Downey Jr. e Jeremy Strong faz o seu irmão está se tornando divertido.

    ResponderExcluir

Total de visualizações